quinta-feira, 22 de março de 2018

1 Ano e qualquer coisa se passou...

É verdade já se passou 1 ano e qualquer coisa desde que não vinha aqui contar nada. Muitas com saudades foram pedindo que voltasse a escrever porque adoravam passar por aqui e rir com as minha aventuras (... sério?!) outras porque se identificam, muitas gostam do meu lado genuino, e com isto parece que sou completamente transparente. Há pessoas que me conhecem pela escrita e sabem tanto de mim, felizmente descobri da melhor maneira possível.

Este ano que passou foi talvez dos piores anos da minha vida... o pior mesmo, posso afirmar. Começou logo em Janeiro. De Março a Setembro, ao nível da saúde, fui perdendo imenso sangue até ser internada de urgência com uma hemorregia, desfaleci 3 ou 4 vezes e só ouvia a minha mãe aos berros, o jeitoso a bater-me (safado aproveitou-se bem nesse dia) e as minhas filhas a chorar por me verem assim.




A hemoglobina estava a 9 fizeram-me uma raspagem, como se tivesse um aborto, só que não. Tinha o endométrio demasiado espesso, quem já conhece a historia por aqui sabe que não sou menstruada e que tenho duas filhas quase por "obra e graça do espírito santo". No dia 31 de dezembro de 2016 tive um período constante por 365 dias exactamente. Segundo a minha filha e a minha irmã foi castigo por não saber o que isso era com 36 anos.

Continuando... em maio mudei de casa, fui viver para uma casa "simpática" com apenas um quarto (uma cozinha/sala, e casa de banho) mudei a minha vida toda para lá. Mais uma das minhas maiores loucuras, antes tivesse partido uma perna.



A casa era engraçada tinha um terreno fantástico, o importante era estarmos juntos novamente, não tenho qualquer problema em falar sobre isto mas por respeito aos meus não o faço.


Acreditem que conheço famílias de 3 e 4 pessoas com casas de 2, 3 quartos, e não se conseguem mexer... Connosco funcionou.
Optei por imaginar que estava ali de férias e guardei no sótão tudo o que não usava ou necessitava no dia a dia. Os objectos eram practicamente nenhuns, o quarto ficou para elas e nós dormimos no sofá durante 8 meses.



No instagram do blog, andando para baixo conseguem ver mais algumas fotos desta casa.

O quarto delas era vermelho, vermelho sangue de boi, e a sala amarelo canário. Pode ser muito engraçado mas para mim eram facas a espetar nos olhos cada vez que entrava numa divisão. Obviamente pintei tudo de branco, no quarto o roupeiro de parede como era preto, com um vidro a meio das portas (...vermelho) colei um papel autocolante com efeito mármore e tentei decorar com alguns apontamentos pretos. Foi o que saiu para duas miúdas com idades tão diferentes. 



Também quis vender tudo o que era mobília e em boa hora o fiz, não queria guardar nada a não ser o que me fazia falta, por minha vontade até cortinas lençóis e afins tinha oferecido... mas depois iria precisar deles.

Conseguimos sobreviver... Apesar de tudo.

A família, os nossos filhos, o amor o que queiram chamar por eles vale tudo e vence tudo.
No meio desta história, entrei em depressão, devo ter tido um esgotamento ou coisa que o valha, e mais uma vez vi quem eram de facto os meus amigos e quem é que lá esteve quando precisei. Os amigos não são aqueles que passam a vida em nossa casa ou tomamos um café.
Se guardo rancor a alguém? Nenhum, as pessoas são o que são, valem o que valem, há que saber lidar com isso. Ficam as ocasiões.

Aquela história de " Ah se fosse comigo..."
Esqueçam. Eu dizia o mesmo.

Fui abaixo, bati mesmo lá no fundo, senti que não era mãe o suficiente, pus em causa as minhas filhas, fizeram-me meteram a mim, senti que não era mulher o suficiente. Logo eu que sempre fui de ideias fixas, sempre disse que se não tivesse a minha auto-estima tão bem colocada já tinha cortado os pulsos, sempre fui mãe galinha e mantive as minhas filhas no meu ninho. 
Sou mesmo daquelas mães que não suporta que lhe digam "faz assim ou faz assado" quando os filhos nascem, muito menos que lhe tirem o bebé do colo quando ele está a chorar. Isso mantem-se até à idade adulta.
Não sou melhor que ninguém, mas não há ninguém melhor que eu para as minhas filhas e não admito que o ponham em causa, nem que tentem afastar-me delas.



Posso ser avariada, mas hoje volto a ser feliz assim. Já consigo voltar a tirar fotos ( coisa que nao aconteceu durante uns bons meses), consigo voltar a rir com vontade, já durmo sem medicação e digo que nada disto se baseou em consultas ou medicamentos.

Vem de dentro.

Considero-me uma pessoa até bastante forte, há situações em que somos apanhadas de surpresa e eu sou a rainha delas, nesta altura desisti achei que já nada valia a pena. Enfim... Parece que um dia acordamos e a cabeça dá uma volta de 360º.


O melhor de 2017, foi sem dúvida ter conhecido a Helena.



Contactou-me através do instagram, percebeu onde eu morava e embora não estivesse no país queria encontrar-se comigo. Disse que era proprietária de uma discoteca e pôs-me logo a pensar "querem ver que vou dançar em cima da coluna?!"

Afinal a Helena tem uma casa de Turismo rural convidou-me a trabalhar com ela só porque simpatizou comigo no blog, diz que passava horas a ler-me. Conhece-me bem, eu começo a conhecê-la, tem uma família fantástica super simpática e tornou-se uma verdadeira amiga.

Podem seguir no instagram @casadapalmeira, além do sorriso simpático sabe receber como ninguém.

Estas fotos não lhe fazem justiça, mas a casa é realmente acolhedora, passem por lá.










Se continuo avariada? Continuo. 

Há sempre aquelas ideias parvas que não me saem da cabeça... uma delas era reconstruir uma casa antiga e ninguém acreditava.


Imaginem.



17 comentários:

Home change Home disse...

É um prazer voltar a ler-te!!!
És uma pessoa muito especial, decididamente muito forte, determinada e ainda por cima com bom gosto :)
Desejo-te o melhor, só porque fazes por isso!
Um grande abraço e espero que este post seja o primeiro de muitos, saobre a casa nova :) :)
Teresa

Anabela Conceição disse...

Caraças PAH, és uma mulher com M grande... Não tenho dúvidas que a tua casa vai ficar linda e que vais ser muito feliz por lá.
Beijo

Cristiana Rios disse...

muito bem vinda. Aguardei ansiosa pelo teu regresso. Que 2018 seja um ano muito feliz para ti e para a tua família. Também te acho muito genuína e identifico me muito contigo daí seguir te sempre. Beijinho muito grande e tudo de bom

Minha Casinha d'Aldeia disse...

Bem-vinda de volta, sentiu-se a sua falta!!

Borboletas disse...

Já tinha saudades da tua vinda aqui , gosto muito de te acompanhar.... Comecei acompanhar -te num período bem ,mas bem difícil da minha vida , embora ainda não esteja no melhor vou caminhando .Perdi um pouco o contacto naquele período da tua saida daquela casa que tanto te dedicaste e depois ?....Foi a despedida .... ver as imagens dela despida sem a tua presença deu-me uma certa nostalgia !Mas dou-te os parabéns és uma guerreira ,agora aguardo pela renovação da tua nova casa e desta vez .....mesmo tua !....Parabéns um bj borboletas

Serena disse...

Ainda bem que estás de volta! A vida é assim mesmo, momentos bons, momentos maus... mas tudo passa... só fica o que guardamos na meória e no coração. Beijinhos!

Anónimo disse...

Obrigado por continuar por aqui. Confesso que tinha muiiitas saudades.Tudo de bom e muita saúde.Beijinhos Ana

Maria João disse...

Bem vinda de volta Lucia (dama das camélias). Não há como um bom blogue para sentirmos melhor o que cada um quer publicar. Saudades!!

nat. disse...

Vanessa Santos disse...

Tão bom ler-te por aqui. Sabes que gosto de ti e sim, cada vitória tua deixa-me muito muito feliz!

SANDRA SANTOS disse...

bom dia ! Hoje conheci o seu blog...e revi-me em si.
A sua história é tão, mas tão, parecida com a minha! Desde a amenorreia até a vontade insaciável de ser mãe que consegui satisfazer através da RMA. Uma vida de luta para conseguir aquilo que (à partida) deve ser o maior sonho de qq mulher... A depressão também passou por aqui e fez alguns estragos e também foi nessa altura que soube quem eram os meus Amigos, aqueles que estão cá para tudo, contra ventos e marés.
Fico feliz por essa sua (e a minha) fase já ter passado,
seja feliz,sempre
beijinho

Sandra

home living for disse...

Ola Sandra obrigada pelas suas palavras, valem muito para mim a sério. Lamento que tenha passado pelo mesmo consigo imaginar o que passou... Beijinho e espero voltar a vê-la por ca.

Anónimo disse...

Olá,

Que bom regresso. Já tinha saudades.

Tudo de bom.

Sofia

Carla Sofia Barros Leitão disse...

Bem vinda de volta!
Força! Não desistir! Há dias piores e dias melhoras! Um dia de cada vez e seguir em frente!

Beijinho!

SANDRA SANTOS disse...

olá! o blog está gravado nos favoritos ;) e de vez em quando venho ver se há posts novos

Bjinho

Sandra

Debora disse...

Que bom que você voltou! Sou uma dessas pessoas que se identifica e se diverte com a tua escrita. Voltei aqui por meses a fio sem nenhuma atualização.

Vi pelo Instagram que você estava com algum problema de saúde, embora não entendesse bem o que era.

Que bom que o pior já tenha passado e que você esteja de volta. Que este ano seja mais gentil com você!

Cristina Anjos disse...

Grande mulher! As maiores felicidades :)