quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Início do ano lectivo

Este foi o primeiro ano lectivo da minha princesa pequenina. Acho que só eu é que ainda a acho pequenina... e tenho saudades disso.

Ao início ela dizia "Não quero ir para a escola" Como mostrei neste vídeo que irá ficar recordado para sempre. Lembro-me da primeira vez que falámos na ida para a escola, ao jantar todos juntos e ela responde: " Mas poquê eu tenho que ir pá escola, já não gostam de mim aqui é?"
Partiu-me o coração...



No primeiro dia as mãe puderam ficar na sala, houve crianças que choraram bastante, vi uma agarrada ao pescoço do pai a gritar e a avó puxava-a e dizia "Vamos lá embora, tens de ficar!"... Eu seria incapaz de deixar uma filha assim. Cada um sabe de si, mas se até aqui as crianças ficavam com familiares acho que era importante que ficasse alguém com elas naquele dia. Claro que algumas já estão habituadas à creche, lidam bem com o assunto, mas as outras... tive imensa pena. O início do ano lectivo é com certeza um dia importante para as crianças, elas não se esquecem como certos adultos, apenas mostram de uma forma diferente.

Os únicos que lá ficaram fui eu e o tio de um menino que por sinal me surpreendeu bastante. Aquele ar de jovem de 20 e poucos anos, loiro, olhos azuis cheio de swag, cap na cabeça (mesmo dentro da sala) era a coisa mais preocupada e cheia de atenções para com o sobrinho, não o deixou chorar, limpou as lágrimas e garantiu-lhe mesmo que não o deixava sozinho.
Quando a Vi simpatizou finalmente com a auxiliar, foi com o tal menino para uma outra sala onde estão bicicletas e trotinetes para  brincar. Eu saí para tomar um café (o jovem ficou) e quando voltei lá estava ela à minha espera. 

O medo delas passa por pensarem que vamos ali "abandoná-los", expliquei-lhe vezes sem conta que ela se ia divertir com os meninos e que ia fazer muitos jogos divertidos, pintar, brincar, ouvir histórias (que a mãe não tem paciência nenhuma para contar e o pai ainda menos) e no final a ia buscar outra vez "é só por um bocadinho!"
Resultou. 




 Felizmente a Vi não chorou nem um bocadinho até agora. A professora diz que ela só ficava triste e se lembrava da mãe quando via os outros chorar com saudades.
Adoro quando a vou buscar e ela diz "Eu não chorei viste mãe!"
Agora felizmente ao fim de uma semana vai bem sozinha basta deixá-la no portão e lá vai ela toda contente aos pulinhos, sobe os degraus e olha lá para dentro à procura das amigas. A mãe que é bom, nada! Fico do lado de fora à espera que ela olhe para trás para lhe dizer adeus, mas ela quer é brincar.

Fazendo as contas... o jeitoso diz que temos que fazer outro bebé ou então a nossa casa só terá bebés novamente daqui por 15 anos (sem querer apressar a nossa filha mais velha).

Adoro ouvi-la falar dos colegas e tratar cada um pelo primeiro e segundo nome. Acho imensa piada quando ela chega e me conta o que fez com o seu jeitinho despreocupado sem relativizar muito o que quer que seja. Hoje disse-me que a V.C já não é amiga dela, não se quis sentar ao pé dela e foi ter com a J.S.

Correu mesmo muito bem este início e nem sequer foi preciso a primeira semana apenas só de manhã, blá blá blá como eu havia pensado. E ainda bem que assim foi, deixa-me descansada.

É uma turma de 28 crianças, a educadora conta com uma auxiliar, mas parece tudo bem organizado. Adoro estar no portão à espera dela e ver os meninos saírem todos dois-a-dois de mãos dadas a formarem um comboio.
No meu tempo saia tudo ao molhe, a ver quem chegava às grades primeiro e conseguia descobrir o pai ou mãe no meio da confusão. Cada vez gosto mais deste meio pequeno

A Victória era daquelas crianças que achava imensa piada ao parque infantil da Ikea mas nunca lá quis ficar porque a mãe não pode entrar.
A mãe espera que na próxima ida à Ikea já possa ir às compras descansada!




7 comentários:

nat. disse...

Ainda bem que correu tudo bem!
É um alivio!

Beijinhos!

Maria João disse...

Ainda me lembro desse aperto no coração com que saimos e os deixamos lá. A minha primeira experiência foi há 19 anos, já que a minha filha mais velha não foi para o jardim escola, porque não havia aqui e entrou direto para a primeira classe, mas lembro-me como se fosse hoje. Não chorou e sentou-se logo ao pé de uma outra menina, mas de vez em quando, enquanto os pais ali estiveram, olhava para trás para confirmar que eu ainda lá estava (ou seria para me ver pelas costas? - agora fiquei na duvida). beijinhos

Ana disse...

Olá Lúcia, ainda bem que a adaptação da Vi está a correr bem, o tempo e amor, que tens dado ás tuas meninas, faz com que elas sigam seguras, confiantes, estás a colher os frutos dessa dedicação. Bem hajas. Beijinhos.

Life is Sweet disse...

Que bom que ela se adaptou bem... passei um mau bocado com a minha que era bem bichinho do buraco. Só lhe vai fazer bem! Ainda parece que foi ontem que disseste que estavas grávida e a Vitória já foi para a escolinha :) Beijo

Ana Raquel disse...

Bom ano!

Maria João disse...

Somos amigas no facebook sim senhora e também te sigo desde a Dama... gosto muito das tuas publicações e não resisto a comentar sempre que se presta a isso. Beijinhos e bom fim de semana.

Anónimo disse...

Fico muito contente que a Vi esteja a adaptar-se bem! Eu como Educadora posso dizer lhe que na escola a Vi vai fazer muito mais além de pintar, fazer jogos...a Vi vai crescer e concretizar as mais importantes aprendizagens que vai ter na vida! Espero que corra tudo bem daqui para a frente!

P.S. Santa Educadora da Vi que tem 28 criança, são muitas...

Conte aqui as novidades da escolinha... trabalhos, aprendizagens sff :)

Beijinhos