segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Roupa d'avó

Já disse aqui que sou vaidosa, gosto de gostar de mim e sem grandes problemas vou cuidando do cabelo, do rosto e do corpo como posso ou como me dá vontade. Tenho uma Ermelinda que me ajuda imenso.

No que respeita à moda nunca sigo grandes tendências, raramente compro roupa para mim e quando o faço é mesmo porque preciso. Nessa altura nunca escolho peças simples ou básicas para isso não vale a pena gastar dinheiro, gosto de comprar algo que "se veja". O que mais compro é calçado, e ainda assim não compro tanto quanto gostaria. Acho que uns sapatos/botas juntamente com alguns acessórios podem mudar completamente a roupa que temos vestida e isso dá-nos imensos estilos diferentes sem que tenhamos que parecer sempre vestidos da mesma maneira.
Felizmente para mim, que sempre achei que os antigos se vestiam bem melhor que esta geração, o estilo vintage está cada vez mais presente quer na moda quer na decoração.

Não resisto a vestir algumas peças de roupa das minhas avós.


São peças de qualidade, que duraram anos e se mantêm como novas. Algumas das peças que tenho no meu armário tem mais de 40 anos!É impensável uma peça dos chineses ou da Primark durar tanto tempo em boas condições.











Com isto não quer dizer que goste de me vestir sempre "com o estilo d'avó", gosto de jeans rasgados, preto, branco, vale tudo desde que me sinta bem.


Aproveito para apresentar o nosso cão lindo, é assim que a Victória o trata (e eu). Fui contactada por uma senhora que me lê, disse-me que o seu filho teria emigrado e deixado este labrador com dois anos. Pediu-se se ficava com ele porque se lembrava do quanto gostávamos da Sasha e como lamentávamos a ter perdido. Ao inicio fiquei apreensiva, não queria mais cão nenhum...

Nós convivemos com a Sasha durante 3 anos, depois veio a Milka aquele terror que tentou morder a Victória duas vezes. O Ully a ratazana pequena, um cão de casa que fazia chichi e cocó por todo o lado, a Victória escorrega, cai, hospital lábio aberto sangue por todo o lado. Vem para casa, chichi outra vez na escada, a Victória escorrega por sorte não cai por ali abaixo... a nossa vizinha da frente gostava mais dele que eu. Confesso que para mim um cão que faz mal a uma filha minha, é como se fosse uma pessoa, por muito que pedisse desculpa estava marcada.
Labrador é labrador, assim que vi o Mike foi amor à primeira vista, parecia que estava a ver novamente a Sasha.
O Mike está connosco já há algum tempo e é de facto "o nosso cão". A Victória faz o que quer dele e ele agradece, isso deixa-me descansada.
O facto de já ter 2 anos também ajuda, já passou um pouco a fase de roer tudo o que apanha, dá a pata, senta e não entra em casa nem por nada (foi um castigo quando o trouxemos).










10 comentários:

Maria João disse...

E que catita estás!!! Sabes, também tenho 2 ou 3 peças de roupa que pertenceram às minhas avós!!!
Engraçado...é mesmo igual à Sasha...
Bjs,
MJ

Marta disse...

A saia é muito bonita e fica-te muito bem. beijinho :)

manuela carvalho disse...

Lindaaaa! Um look super bem conseguido! Fiquei aqui a morrer de inveja dessa saia... O cão?! Um encanto! Beijocas

Carla - Arte e Manha disse...

Fazes-me lembrar quão contente fiquei quando me deram um vestido vintage há dois anos. O melhor, é que muito dificilmente nos encontrarão vestidas igual a outra pessoa :)
O Mike é muito fofinho! Beijinhos

Angélica D disse...

Hola amiga querida!! Muy lindo look aunque sea de la abuela usted se ve muy jovial !!

Aventura Decoração disse...

Que saia tão bonita, eu tive uma parecida, mas não era antiga, foi a minha mãe que ma fez.
Na minha adolescência tive uma blusa branca com bordados vermelhos, que era da minha madrinha quando era jovem, a blusa já era de meados dos anos 70, passou para as 2 filhas, e por fim veio para mim.
Usava-a sempre com umas calças vermelhas com boca de sino, ainda mais antigas que a blusa, que eram de uma tia do meu pai, eu fazia um sucesso enorme com aquela toilete...... :-)
Beijos.
Ana Silva.

p* disse...

Estão mesmo giras as fotografias! :)

Lulu walkingonsunshine disse...

A saia é linda e fica te muito bem .
Infelizmente coisas da minha avó já não tenho:(
Mas há da minha mãe :)
Boa semana
bjs
Lulu

Val disse...

Olá Lúcia, ver a tua saia fez-me voltar no tempo e ter saudades: a minha mãe usava uma muito parecida, não tão comprida, que lhe ficava tão bem quanto esta te fica a ti. Tens razão quando dizes que os antigos vestiam-se melhor que nós , agora. Acho chiquérrimo aquelas roupas cintadas dos anos 50 e 60. As mulheres eram elegantes, de luvas, chapéu! um primor.
Guardei algumas roupas da minha mãe, mas nunca as usei. Talvez um dia, as transforme. Eu sou maior e mais encorpada do que ela, portanto nada me cabe! Beijinhos Lúcia

maybelle disse...

Quando era miúda tive uma saia (e que tinha sido salvo erro de uma tia minha) deste tipo,e é a saia que mais recordo. Adoro este tipo de corte e os padrões são sempre muito bonitos! Quem dera que voltasse em alta nas lojas, que certamente compraria uma!