terça-feira, 9 de agosto de 2016

Bolo de chocolate na caneca

Confesso. Sou uma devoradora de doces assumida.
Quando me apetece um bolo depois de jantar, ao lanche ou a qualquer hora não resisto.


1ovo
4 colheres de sopa de chocolate
3 de farinha
3 de açúcar
3 de óleo

Mexer tudo com a vara de arame e vai ao microondas 1min e 30 segundos! Fantástico.
Num instante um bolinho de chocolate cremoso, quase um pettit gateau.

Quem resiste? 




sexta-feira, 29 de julho de 2016

O dia de ontem


Ontem no meu aniversário fiquei em casa com as princesas. Podíamos ter ido à piscina e passar por lá o dia, mas o calor irrita-me e não tenho paciência para torrar ao sol. Fiz um cheesecake porque me apetecia um "bolo" fresco, aqui em casa todos gostamos (até à Catarina, incrível!) tirei da forma e tinha tudo pronto para o nosso lanche... Mas já há muito que eu queria que o dia de ontem fosse diferente, durante muitos anos passei o meu aniversário na praia ou na serra de Sintra a fazer piqueniques com a família. Não conformada disse-lhes que quando o pai chegasse íamos fazer um piquenique.
- " Mãe, mas o pai não sai às 20h? Quando ele chegar já é de noite."
E então? Quem é que disse que os piqueniques só se fazem durante o dia?
Voltei a por o cheesecake na forma (o raio do bolo parece que inchou fiz uma javardice enorme) fiz uma quiche de cogumelos, fiambre e queijo, fiz gelatina de  melancia e juntei pedaços de melancia em frasquinhos para mim e para o homem (para as jeitosas só gelatina de morango) coloquei tudo na cesta e esperei. 

                                              

Quando ele chegou, não perguntei nem esperei pela resposta: "estou cansado, um piquenique a esta hora, epa não podemos comer ali fora...."  informei-o que íamos.
Ao chegarmos ao parque, eram muitas as famílias que se juntavam por lá, umas com a febre do raio dos pokemons, outros a correr atrás dos filhos nos baloiços, e muitos simplesmente a apanhar o ar fresco da noite na esplanada.

Saímos do carro, estou eu à procura de qualquer coisa dentro da mala olho para o meu marido com a cesta debaixo do braço como se a conseguisse esconder e diz-me "não tinhas nada mais discreto, não??"  A cesta é linda e tem uma asa que serve exactamente para segurar.

Ficámos perto de um candeeiro junto ao rio e estávamos muito bem.
Infelizmente fiquei outra vez sem máquina fotográfica e já não mando arranjar novamente. As fotos com o tlm ficaram péssimas mas cantaram-me os parabéns e a Victória não chorou, fantástico! A rapariga chorava sempre que alguém cantava os parabéns. 
Maturidade é o que é.


Fiquei contente por ter sido um aniversário diferente e chegamos a casa perto da meia noite.



                                                       


                                                        



                




quarta-feira, 27 de julho de 2016

Paletes recicladas :: espreguiçadeira

Há algum tempo consegui mais umas paletes de uma tamanho diferente do habitual, são ligeiramente mais pequenas e mais estreitas como as que construí as floreiras.

Com alguma dificuldade consegui tirar os pregos que suportam as ripas e coloquei-as sem deixar aquele espaço enorme entre elas.



Com a palete que desmanchei, virei-a ao contrário e coloquei em cima a que construí... Complicado?! Não me consigo explicar melhor. espero que as imagens ilustrem melhor a escrita.





Depois de aplicar verniz nogueira ficou com este aspecto, e posso desmanchar para melhor arrumação quando não está a ser usada.


Agora é aproveitar o sol, a água e a mãe a espreguiçadeira!




35

Its my B Day!


 Antes de ser mãe, filha, neta, tia (tia não sou porque os meus irmãos são uns palermas ainda acham que estão a curtir a vida, mas adorava). Antes de ser avó sou mulher e não me quero esquecer disso.
Adoro ser mãe, amo as minhas filhas acima de tudo e qualquer coisa, mas nunca quis deixar de ser mulher. Ser mãe, amamentar, flacidez, estrias fazem parte de ser mulher um dom que temos nesta vida.
Por vezes posso trocar o rimel por uns chinelos, um jantar fora por uma roupa para elas, mas nunca quis deixar de calçar uns saltos, usar um vestido florido ou usar um baton. Não é por ser mãe e dona de casa que me posso desleixar, pensar que um rabo de cavalo e umas calças de ganga chega. Ninguém gosta de ter uma mãe assim. Adoro ouvir as minhas filhas dizer "uau mãe tás toda jeitosa" se eu gosto de às ver bonitas e arranjadas elas também gostam de me ver na mesma forma, é isso que é o amor. Se cuido delas, porque não hei-de cuidar de mim?




Oiço dizer "ah já estou casada há 15/20 anos, vieram os filhos, não me cuidei" ou "tenho lá paciência para isso, não sou rica para andar a arranjar as unhas todas as semanas" não é preciso ser rica para isso, dá jeito e ajudava muito, mas ainda assim não é essencial.

Com 35 anos sinto os 40 a chegar, a pele a envelhecer, as rugas e as manchas aparecem vindas do outro mundo e não posso fazer nada quanto a isso mas quero recordar estas imagens quando tiver 60 anos e sentir que aproveitei ao máximo a mulher que sou.

Há alguns anos dei por mim a procurar fotos antigas dos meus aniversários para ver as diferenças e não gostei do que vi, achei que eram fotos de "dona de casa" à volta da mesa, com a festa feita, não era isso que eu queria encontrar. Então há cerca de 4 anos que tiro fotos deste género uns dias antes do meu aniversário e guardo para recordar. Nem sequer é preciso um fotografo, um telemóvel com camara frontal chega e claro o editor de imagem ajuda muito.


Isto não é ser pirosa, ou convencida. As estrias, celulite, gordura extra está cá só não tenho que a salientar. As calças de ganga podem ser usadas com saltos altos e uma camisa justa, não tenho que usar uma t-shirt dois números acima. demora exactamente o mesmo tempo a vestir, um lápis nos olhos e um batom são apenas segundos...

terça-feira, 5 de julho de 2016

Cheesecake

Esta é das sobremesas que devoro e tento me esquecer que há verão biquínis e afins... É deliciosa!

Há muito que queria fazer este doce mas não sabia a receita e achava que era algo muito complicado. Comprei um já meio pronto da Royal mas achei o sabor demasiado intenso, partilhei no Facebook e num instantinho partilharam comigo  várias receitas. A maravilha da Internet!  A que mais gostei foi a mais simples, não gosto de coisas demoradas e complicadas.

Receita:

2 pacotes de natas
1 lata de leite condensado
8 folhas de gelatina
1 embalagem de mascarpone ou parecido
100 g de bolacha digestiva ou bolacha maria
100g de manteiga derretida
2 colheres de sopa de doce de morango

Trituramos a bolacha e adicionamos a manteiga derretida, colocamos tudo no fundo de uma forma com abertura lateral com fundo solto. E calcamos com uma colher. Vai ao frigorífico para solidificar.

Batemos as natas com o creme leite condensado e o mascapone. Num copo deixamos amolecer as folhas de gelatina em água fria e de seguida colocamos em meio copo de leite quente para dissolver e adicionamos às natas. Mexemos novamente tudo muito bem. A bolacha já está solidifica da o suficiente para receber o que preparamos anteriormente. Vai ao frigorífico mais duas a três horas e está pronto a servir. Nesta altura colocamos as duas colheres de sopa bem cheias de doce de morango ao lume com 4 de água deixamos dissolver o doce e quando arrefecer um pouco colocamos por cima do cheesecake.  Este passo pode ser substituído por qualquer outro toping de fruta ou chocolate já confeccionado, eu acho mais económico assim.
No final basta decorar com raspas de chocolate ou fruta.

Espero que gostem.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

A sério??...

Quase todos os dias ela chega a casa com um desenho para mim. Adoro ouvir a explicação dela "esta és tu e eu, aqui é o Mike... Estes são os passarinhos,  vês?! Olha aqui é o vento."
Como sempre digo que são lindos! Ela já usa imensas cores, carimbos e as caras são sempre as mesmas mais coisa menos coisa.
Hoje dei-lhe um abraço, como sempre, agradeci o desenho e disse  que gostava dela "tanto tanto que nem imaginas" ela olha para mim é diz "vais morrer mãe?!"
A sério??! ... Onde é que ela vai buscar estas coisas?


segunda-feira, 20 de junho de 2016

A cadeira do bicho...


Há algum tempo quando a recebi aquele conjunto de mobílias antigas, veio também esta cadeira com um estilo muito vintage e novamente actual. Estava em péssimo estado, o bicho entrou na madeira e deixou-a neste assim. 






Dei um grande banho de cuprinol na cadeira toda e deixei-a na rua por uns meses. Não tornei a ver pó no chão. Soprei com o compressor em todos os buraquinhos que encontrei e dei novamente um banho de cuprinol (um liquido com um cheiro muito activo que mata o bicho da madeira). 
Deixei mais uns dias e pintei-a quando pintei as cadeiras da sala de jantar. Apliquei massa branca em todos os buracos, deixei secar e lixei tudo com uma lixa nº80 para madeira.


Pintei tudo com o compressor, deixa logo com um aspecto uniforme. Lixei as arestas com uma lixa nº120, retirei as tachas que tinha no assento e coloquei umas novas bem brilhantes.



Os pés ficaram como novos quase que não se percebe o estado em que estavam.










A cadeira antes: